Naturlink

Edward O. Wilson

Adaptação de António Barreto

Edward Wilson é um dos maiores naturalistas vivos (1929 - ), associando uma obra científica de excepcional qualidade com uma faceta de divulgação ao grande público que já lhe valeu dois prémios Pulitzer.

 

Edward Wilson, considerado por muitos como o mais proeminente biólogo do século XX e certamente um dos maiores naturalistas da história americana, nasceu em Birmingham, no Alabama, em 1929. Conseguiu os seus graus de bacharel e de mestre, ambos em biologia, pela Universidade de Alabama, e doutorou-se, também em biologia, pela Universidade de Harvard - instituição em que é professor desde 1953. Foi professor de zoologia em Harvard, curador de entomologia (no Museu do Zoologia Comparativa), professor de Ciências em Baird, professor de ciências em Mellon e professor da Universidade de Pellegrino.

Wilson devotou uma fracção significativa da sua carreira às formigas, tendo publicado recentemente dois livros notáveis sobre estes fascinantes insectos, ambos com Bert Holldobler: The Ants (1991), que ganhou o Prémio Pulitzer e Journey to the Ants (1994), que ganhou o Prémio Alemão do Livro Científico do Ano.

A carreira de Wilson foi, no entanto, muito mais abrangente do que a sua notável pesquisa sobre formigas. A sua carreira como pensador e autor no campo da biologia começou com o seu livro de 1967 The Theory of Island Biogeography (escrito com o ecologista Robert MacArthur), o qual forneceu a fundamentação científica para toda a subsequente discussão sobre o declínio dos ecossistemas de ilhas, reais e funcionais. Oito anos mais tarde, o seu quinto livro, Sociobiology: The New Synthesis, apresenta a teoria revolucionária de que os comportamentos sociais humanos, da guerra ao altruismo, têm uma componente genética fundamental. 
 
Wilson é autor, co-autor ou editor de outros 20 livros, entre os quais se destacam On Human Nature (1978) que lhe granjeou o seu primeiro "Prémio Pulitzer"; The Diversity of Live (1992), nomeado pela "New York Public Library" como um dos mais proeminentes livros do século; e Naturalist (1994), citado como um dos melhores livros do ano pela "New York Times Book Review". Naturalist, um maravilhoso relato sobre a infância itinerante de Wilson, a sua solidão e o seu precoce fascínio com os insectos no campo, granjeou a Wilson muitas prémios, entre os quais o "Los Angeles Times Book Prize" e o "Publishers Marketing Association´s Benjamin Franklin Award", e ainda o merecido renome de escritor refinado e a honra, da qual ele tem particular orgulho, que é o "John Hay Award" da "Orion Society".

Por outro lado, são inúmeros os prémios científicos ganhos por Wilson. Como exemplo podem-se citar o U.S. National Medal of Science, o Japan´s International Prize for Biology, o Royal Swedish Academy of Sciences Crafoord Prize, o French Prix du Institut de la Vie, o Germany´s Terrestrial Ecology Prize e o England´s Kent Conservation Book Prize. Wilson foi ainda nomeado com uma das 25 personalidades mais influentes dos E.U.A.pela revista Time, em 1996.

Alarmado pela perda acelerada de espécies em todo o mundo no nosso século (Wilson estimou que 20% das espécies do planeta perder-se-ão nos próximos 23 anos), transformou-se numa voz eloquente e poderosa na defesa das diversidade biológica. Segundo Wilson, "a perca de biodiversidade é provavelmente o facto que os nossos descendentes estarão menos dispostos a nos perdoar."

Comentários