Naturlink

Indicadores e Contadores de Tempo

Susana Ribeiro

O tempo é uma grandeza omnipresente, que sentimos necessidade de medir. Essa necessidade manifestou-se desde sempre e muitos povos exprimiram-na através do desenvolvimento de instrumentos e medidas que podemos recriar.

Um arqueólogo faz escavações para tentar conhecer melhor os povos antigos, através dos vestígios por eles deixados, quer enterrados quer à superfície. Sabe-se, por exemplo, que em todo o globo estes povos viviam familiarizados, fascinados e preocupados com o céu – de dia e de noite. Sacerdotes e outros chefes religiosos conseguiram grande poder quando se tornaram capazes de prever rigorosamente um eclipse ou o início da estação das chuvas. Naqueles tempos a obtenção de alimentos dependia do rigor das observações e registos do céu e estes povos conheciam as estrelas da mesma forma como nós hoje conhecemos as ruas.

Como fazer um relógio solar?

Cerca do século I descobriu-se que um objecto inclinado projectava uma sombra que mantinha o tempo mais exacto do que um objecto que se encontrasse na vertical. Isto é tanto mais verdadeiro quanto mais próximos forem os ângulos de inclinação do objecto e da latitude do lugar em que estiver a ser usado. Nesse caso, a sua direcção é a mesma a qualquer hora do dia, independentemente da altura do ano.

Material que vais precisar: 
 
- Dois pedaços de cartão grosso (15´20 cm)
- Um pau ou lápis de 10 cm
- Transferidor
- Atlas
- Tesoura
- Cola de madeira
- Relógio
- Marcador ou lápis

O que deves fazer:

1. Procura num atlas a latitude da tua cidade – é a distância a que fica do equador. Subtrai-a de 90º (ex. 90º - 50º = 40º)

 

2. De um dos pedaços de cartão, corta duas formas triangulares com esse ângulo, como mostra a figura A.

3. Num segundo cartão desenha uma linha paralela à extremidade longa, como mostra na figura B, distando 2,5 cm dela. Cola o pau de 10cm de modo a formar ângulos rectos com o cartão através do centro da linha.

4. Com a ajuda do transferidor, divide o espaço acima da linha em 12 ângulos, de 15º cada um. Numera a linha do meio com o número 12 e as linhas da base com o número 6. em seguida preenche os outros números, como mostra a figura C.

5. Cola os triângulos ao cartão de forma a que se toquem numa das extremidades, como mostra a figura D.

6. Coloca o relógio de Sol na horizontal e a extremidade onde os dois cartões se encontram a apontar para Este e Oeste. Uma forma simples de orientar o relógio é colocá-lo ao meio-dia e indicar o local onde a sombra cai. Deve-se verificar o relógio de Sol a todas as horas, marcando o local onde a sombra cai com um marcador ou um lápis.

 

O que acontece:

A sombra do pau apontará para a hora, uma vez que se colocou o relógio de Sol de forma a que o pau se encontrasse na mesma direcção do eixo da Terra e que o cartão de cima fosse paralelo ao solo no Pólo Norte.

Um Relógio de mão

Um carpinteiro alemão do século XVI mostra um original relógio portátil que não exige qualquer equipamento especial. Se sabes a latitude da tua área, podes ver as horas sem relógio e sem relógio de Sol.

Procura a latitude da tua área num atlas ou num globo. Usando a tua mão esquerda de manhã e a tua mão direita à tarde, segura um pau com o polegar. Mantém a palma da mão bem aberta, de modo a veres nela a sombra do pau. Inclina o pau de modo a formar um ângulo aproximadamente igual ao ângulo de latitude da tua área. A sombra do pau deve ocupar toda a mão, até à ponta dos dedos. Mantém a tua mão esquerda com a palma virada para cima em direcção ao ocidente (Oeste). De tarde, a tua mão direita deverá estar a apontar para oriente (Este).

Como fazer um relógio estelar?

A Estrela Polar é considerada por muitos como um grande relógio nocturno. Alguns marinheiros e observadores do céu eram suficientemente experientes para saberem as horas pela observação da Estrela Polar e das constelações à sua volta. No século XVI, essa experiência constituiu a base de um novo instrumento de medição do tempo - o relógio nocturno.

Material que vais precisar: 
 
- 3 pedaços de cartão
- Caneta, marcador
- Bússola
- Régua
- Tesoura
- Fita adesiva
- Furador ou prego
- Agrafo
- Lanterna
- Folha de papel
- Cola de farinha ou cola

O que deves fazer:
 

1- Marca círculos em dois dos pedaços de cartão. Faz um círculo de cerca de 20 cm de diâmetro. Faz outro 2,5 cm mais pequeno, com quatro triângulos de 7,5 cm a saírem dele, como mostra a figura C. Recorta os dois discos.

2- No disco de cartão maior desenha dois círculos de cerca de 12 mm em torno do rebordo exterior, como na figura A. Marca o círculo exterior com os meses do ano. Marca o círculo interior com os dias do mês.

3- Da folha de papel corta uma elipse de 9,5 cm de altura e 10 cm de largura. Copia o mapa do céu como vês na figura B.

4- Segura o disco maior de forma a que Setembro fique lá em cima. Cola o mapa do céu ao círculo interior por cima dos dias de Março.

5- No disco mais pequeno, a 25 mm da base, marca uma elipse, também de 9,5 cm de altura e 10 cm de largura. Recorta a secção oval.

6- À volta da ponta do disco mais pequeno desenha um mostrador de relógio como mostra a figura C.

7- Coloca o disco mais pequeno sobre o disco maior, de forma a que possas ver o mapa através da “janela” do disco mais pequeno.

8- Cola as pontas dos triângulos do disco mais pequeno aos cantos do terceiro cartão. Faz um furo através do centro dos três cartões. Faz passar o agrafo através dos três furos centrais.

Numa noite clara, de preferência sem luar, descobre um local onde as luzes das ruas e casas não obstruam a tua visibilidade. Vira-te para Norte e procura a Ursa Maior e a Cassiopeia.

 

Duas das estrelas guardas da Ursa Maior (no extremo oposto à cauda da Ursa Maior) apontam para uma estrela com um brilho bastante intenso, a Estrela Polar – também conhecida como Estrela do Norte – que fica a meio da distância entre a Ursa Maior e a Cassiopeia. Quanto mais a Norte te encontrares, tanto mais alta a Estrela Polar estará; quanto mais a Sul, mais baixa ela estará. Faz girar o teu relógio estelar até que pareça o céu. Por cada semana depois de 21 de Setembro subtrai meia hora; por cada semana mais cedo acrescenta meia hora.

O que acontece:

A linha imaginária actua como ponteiro das horas do relógio estelar.

Comentários