Natureza e Poesia

Miguel Monteiro
Imprimir
Texto A A A

 

And the singer so shy to the rest receiv’d me,
The grey-brown bird I know receiv’d us comrades three,
And he sang the carol of death and a verse for him I love.
From deep secluded recesses,
From the fragrant cedars and the ghostly pines so still,
Came the carol of the bird.
And the charm of the carol rapt me,
As I held as if by their hands my comrades in the night,
And the voice of my spirit tallied the song of the bird.

E o cantor tão tímido para os outros, recebeu-me a mim / O pássaro cinzento-acastanhado que conheço, recebeu-nos a nós, três camaradas / E cantou um hino à morte e um verso para aquele que amo / Dos profundos recantos solitários / Dos fragrantes cedros e dos fantasmagóricos pinheiros tão silenciosos / Veio o cântico da ave / E a beleza do cântico extasiou-me / Como se eu desse as mãos aos meus camaradas da noite / E a voz do meu espírito integrou-se na canção do pássaro.


Robert Frost (1874-1863) foi a primeira pessoa a ganhar por 4 vezes um prémio Pulitzer. Do seu A Boy’s Will, W. B. Yeats disse ser “a melhor poesia escrita na América desde há muito”. Tendo trabalhado como jornalista, notabilizou-se posteriormente como professor e pela sua obra poética. Esteve profundamente empenhado na libertação de Ezra Pound e foi convidado pelo presidente Kennedy para visitar a União Soviética, no âmbito de um programa de intercâmbio cultural.

The bear puts both arms around the tree above her
And draws it down as if it were a lover
And its choke cherries lips to kiss good-bye,
Then lets it snap back upright in the sky.

A ursa envolve com ambos os braços a árvore que lhe é mais alta / E puxa-a para baixo como se fora um amante / E as suas cerejas esmagadas fossem lábios num beijo de despedida / Depois larga-a para que se erga de novo em direcção aos céus.


Oh, give us pleasure in the orchard white,
Like nothing else by day, like ghosts by night;
And make us happy in the happy bees,
The swarm dilating round the perfect trees.

Oh! Dêem-nos prazer no branco pomar; / Como nada possível à luz do dia, como fantasmas na noite / E façam-nos felizes como as abelhas / O enxame rondando à volta das árvores perfeitas.

I wonder about the trees:
Why do we wish to bear
Forever the noise of this (…)

Comentários

Newsletter