Mitos

Nuno C. António (texto) e João Bugalho (aguarelas)
Imprimir
Texto A A A

Lendas, sagas ou contos. Deixe-se levar por momentos pelas personagens e seres fantásticos que povoam o nosso imaginário colectivo.

O QUE É UM MITO?

Um mito pode amplamente ser definido como uma narrativa, uma história com muitas versões, que acaba por transformar-se numa tradição aceite numa sociedade. Os mitos são universais, ocorrendo em quase todas as culturas e os seus conteúdos e heróis são quase tão diversos quanto elas. Quando estas narrativas são fictícias e estão associadas a uma pessoa ou a um local são denominadas lendas. Aquelas que têm como base grandes acontecimentos históricos (reais ou especulados), denominam-se sagas. Os contos populares são narrativas de aventuras construídas à volta de uma pessoa ou um local com o fim de entreter as pessoas; tendo quase sempre juízos morais sobre o comportamento humano. Os mitos podem ser lendas, sagas ou contos populares.
 
 
MITOLOGIAS GRECO-ROMANA E ANTERIORES

As florestas, na mitologia, são povoadas por muitas criaturas benéficas e malignas que vivem nos imaginários humanos desde tempos remotos e que vão passando por tradição oral e escrita. Muitas destas criaturas são universais, tendo por vezes apenas um nome diferente entre povos. Nas mitologias greco-romana e anteriores podemos encontrar um conjunto de criaturas ligadas à floresta, sendo muitas delas ainda comuns nos nossos dias, seja na banda desenhada, nos filmes ou nas histórias que nos são contadas.


O CENTAURO é um ser metade-homem, metade cavalo cujas origens remontam provavelmente ao segundo milénio A.C.. Não se conhece com precisão se foram os Hititas, os Gregos de Tessalónica ou os Trácios, os criadores da figura mitológica. São vistos como guardiães das fronteiras e como caçadores da floresta. A sua arma principal é o arco e flecha. Desempenham um papel importantíssimo principalmente nas narrativas mitológicas gregas onde são conhecidos pelos seus comportamentos violentos e selváticos. Acompanham frequentemente o deus Dionísio, deus do vinho e do prazer. Existe a excepção de Chiron, um centauro benéfico e extremamente sábio e bondoso que educou os heróis gregos Aquiles e Jasão.

OS SÁTIROS ou FAUNOS são, na mitologia grega, divindades dos bosques, das florestas e das montanhas. Possuem cornos e cauda e pernas de cabra. Pã, o deus da floresta é um sátiro. Eram acompanhantes do deus grego Dionísio e passavam o tempo a perseguir as ninfas, a beber vinho, a dançar e a tocar flauta de cana ou gaita de foles. O deus Pã, como sátiro que era, é frequentemente representado a tocar uma flauta de canas o que deu origem ao nome "flauta de pã". Os faunos são referidos pelo grande escritor português Aquilino Ribeiro na sua obra "Andam faunos pelos bosques".

Comentários

Newsletter