Importância de vertentes com diferentes orientações para a comunidade de anfíbios da Herdade da Ribeira Abaixo (Serra de Grândola)

Rui Braz e Rui Rebelo
Imprimir
Texto A A A

Os anfíbios são vertebrados extremamente dependentes da humidade ambiental. No entanto, ao contrário do que poderia parecer, diversas espécies encontram-se perfeitamente adaptadas ao clima mediterrânico do Sul de Portugal.

De entre os vertebrados terrestres, os anfíbios destacam-se por apresentar filopatria, baixa agilidade e constrangimentos fisiológicos, em especial a dependência de humidade ambiental. Estas características não só limitam a recolonização de áreas de onde se extinguiram (Blaustein et al., 1994), como são responsáveis pela fragmentação das populações, mesmo quando apresentam uma distribuição ampla (Stebbins e Cohen, 1995). O efeito destas características é incrementado pelo facto dos anfíbios apresentarem um ciclo anual que requer a migração entre habitats com propriedades ecológicas diferentes (Reh e Seitz, 1990). Assim, a sua presença está condicionada pelo bom funcionamento das componentes terrestre e aquática do habitat (Márquez e Alberch, 1995), tornando-os bons indicadores do estado dos ecossistemas. Apesar da aparente baixa abundância dos anfíbios, a sua representação pode ser substancial do ponto de vista da biomassa (Burton e Likens, 1975), fazendo com que desempenhem um papel importante no fluxo de energia e no ciclo de nutrientes, mesmo em zonas áridas (Stebbins e Cohen, 1995).

Embora a Serra de Grândola seja dominada por montado com e sem sub-coberto, existem ainda áreas isoladas representativas da floresta original - carvalhal misto (Quercus suber e Quercus faginea) com matagal mediterrânico - em vertentes íngremes viradas a Norte e Noroeste. Na realidade, estes isolados não são vestígios da floresta original, mas sim o resultado da reversão de habitats degradados. Esta reversão deu-se, sobretudo, após a mecanização da agricultura, uma vez que é impossível utilizar máquinas nalguns locais da Serra, em especial nas vertentes com declive mais acentuado. As vertentes onde se encontram os fragmentos de matagal mediterrânico podem ser consideradas ilhas de humidade, devido à sua orientação (N e NO) e cobertura arbustiva e arbórea. Na Serra de Grândola as vertentes com matagal mediterrânico correspondem a zonas com um microclima húmido, aparentemente favorável a maiores abundâncias e riquezas específicas de anfíbios. Este trabalho pretende, assim, testar a importância dos fragmentos de vegetação original para as diferentes espécies da comunidade de anfíbios da Serra da Grândola, através da caracterização dos padrões de utilização das vertentes com fragmentos de matagal mediterrânico.

A partir da amostragem da vegetação agruparam-se as várias vertentes estudadas, mostrando-se, assim, que existem diferenças entre elas. Há vertentes mais húmidas, compostas maioritariamente por carvalhal misto com matagal mediterrânico, que correspondem a microclimas húmidos.


Comentários

zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz

Newsletter