A melhor bússola do Mundo

Alexandre Vaz
Imprimir
Texto A A A

A explicação para este facto pode estar na sensibilidade das aves para o Geomagnetismo, ou seja, a mesma força que atrai as agulhas das bússolas para o Norte. Durante as tempestades solares, quando existem perturbações no magnetismo da Terra, verificam-se padrões aberrantes de migração. Também algumas experiências revelaram que pombos com campos magnéticos criados artificialmente em redor do seu pescoço não conseguiam em dias encobertos encontrar o seu destino.

Também o olfacto e a audição, embora não sendo sentidos muito apurados pelas aves, podem em alguns casos desempenhar um importante papel na sua orientação. Algumas aves marinhas desenvolveram um olfacto apurado que lhes permite encontrar o ninho durante a noite e recentemente descobriu-se que as aves são sensíveis a ruídos de baixa frequência, como o barulho das ondas, e suspeita-se que esta possa também ser igualmente uma ajuda importante.

A aprendizagem tem um papel fundamental na potenciação destes sentidos inatos. São geralmente aves mais velhas e experientes que lideram os bandos durante as migrações. Numa experiência foram deslocadas centenas de estorninhos, durante a sua migração da Escandinávia para o Reino Unido. Foram trazidos da Holanda para a Suíça e quando libertados, os adultos corrigiram a sua rota e prosseguiram em direcção ao Reino Unido. Os jovens mantiveram a orientação da rota inicial e terminaram em Espanha.

Comentários

Newsletter