Eclipse Anular do Sol - Uma Prenda em Bragança

Rosa Doran e Grom Matthies
Imprimir
Texto A A A

A 3 de Outubro o Norte de Portugal vai ter o privilégio de ser atravessado por uma faixa de visibilidade de um eclipse anular do Sol, fenómeno que não ocorria em Portugal desde 1912. Conheça a génese deste fenómeno tão especial e como pode observá-lo.

No dia 3 de Outubro de 2005 os habitantes do Planeta Terra vão receber uma prenda diferente. A Lua e o Sol vão-nos brindar com um belíssimo anel celeste, visível para quem estiver na região norte de Portugal. Trata-se de um eclipse anular do Sol, um fenómeno não muito frequente, que só presenteia pequenas partes do planeta de cada vez. Desta feita seremos nós os felizardos.

Em geral, ocorrem 7 a 8 eclipses solares no nosso planeta a cada 10 anos. Contudo não são visíveis em todo o globo terrestre. Apenas numa pequena faixa se consegue observar a sombra lançada pelo nosso satélite que se interpõe entre a nossa estrela, o Sol, e a Terra.

Os eclipses solares acontecem quando o disco lunar passa em frente ao disco solar, do ponto de vista de quem está na Terra. Isso só acontece quando a Lua, o nosso satélite natural, se encontra na fase de Lua Nova. Contudo isso não basta, é preciso ainda que haja um perfeito alinhamento entre os 3 astros e isso só ocorre quando a Lua, no seu movimento de translação em torno da Terra, cruza o plano orbital da Terra com relação ao Sol. É que o plano orbital da Terra (plano em que a Terra se move ao longo de uma órbita em torno do Sol) não coincide com o plano orbital da Lua (plano em que a Lua se move ao longo de uma órbita em torno da Terra), existe uma ângulo de 5º entre os dois. Por essa razão, o perfeito alinhamento dos 3 astros é um fenómeno relativamente raro.

Comentários

Newsletter