Energia - Quem não precisa dela?

Alexandre Vaz
Imprimir
Texto A A A

Energia, é certamente uma das mais importantes palavras-chave da Humanidade e do ambiente planetário. Dos combustíveis fósseis às diferentes formas de energia alternativa, existe um mundo de possibilidades, de interrogações e de pesquisa.

O conceito de Energia é bastante lato e abrangente, mas pode definir-se como a capacidade de produzir trabalho.

Todas as formas de vida consomem e produzem energia, mas as principais fontes de energia não são os seres vivos. Melhor dizendo, a energia, tal como a matéria, não se produz nem se consome, mas sim transforma-se.

O Homem não é excepção e hoje em dia, mais do que nunca, consome (transforma) em quase todas as suas actividades enormes quantidades de energia. Desde a revolução industrial e do grande aumento demográfico que a acompanhou, que as carências energéticas da humanidade têm vindo a aumentar drasticamente. No entanto, o empenho do Homem em transformar formas de energia natural, como o vento ou o movimento das águas de um rio, em trabalho, remonta naturalmente muito mais atrás.

Actualmente, as necessidades energéticas da humanidade são fundamentalmente satisfeitas a partir dos chamados combustíveis fósseis, como o Carvão, o Petróleo, ou o Gás Natural. Em regra, esses recursos são transformados por via da combustão noutras formas de energia, como a eléctrica, ou a mecânica. O problema destes recursos é que não só da sua combustão resultam sub-produtos altamente tóxicos e poluentes, como as suas disponibilidades são altamente limitadas, estando previsto para breve o seu esgotamento.

 

Não é preciso ser muito criativo para conceber formas de energia que não sofram destes problemas. Basta olharmos para o exemplo dos nossos antepassados que tão bem souberam aproveitar a energia eólica (do vento), ou da água para fazer mover as mós dos moinhos que transformavam o grão dos diferentes cereais em farinha. Com a tecnologia e os conhecimentos de que dispomos actualmente, podemos não só aproveitar estes recursos com muito maior eficiência, como podemos ainda aproveitar muitos outros, como a energia solar ou das ondas do mar.

Com efeito as fontes de energia são muito numerosas, podendo ir, desde tudo o que se move, como a água dos rios e do mar ou o vento, passando por todos os combustíveis, fósseis ou vegetais, pela energia gasotérmica (elevadas temperaturas no subsolo), até à energia solar e à energia nuclear. Lamentavelmente, em termos práticos, todas estas hipóteses se revestem de aspectos positivos e negativos.

Comentários

Newsletter