Conferência "Gestão e Conservação de Ecossistemas Aquáticos"

ADIRN, ICNB, Município de Torres Novas, Naturlink (24-10-2011)
Imprimir
Texto A A A

Em 25 de Novembro de 2011 decorrerá em Torres Novas uma conferência onde será efetuada uma discussão alargada sobre a gestão e conservação de sistemas aquáticos não marinhos, sendo apresentado um conjunto excecional de experiências, estudos e projetos sobre o tema.

 

Os ecossistemas aquáticos dulçaquícolas e estuarinos são sistemas que possuem reconhecidamente uma importância-chave no território, proporcionando serviços essenciais e albergando uma diversidade biológica excecional. Apesar desta importância, estes sistemas estão frequentemente sujeitos a múltiplas ameaças e a uma gestão inadequada e parcelar, com consequências muito graves para as populações humanas e para a biodiversidade, muito para além da sua vizinhança imediata.

 

Neste contexto, e no âmbito do projecto internacional AARC – Atlantic Aquatic Resource Conservation, a ADIRN – Associação para o Desenvolvimento Integrado do Ribatejo Norte, em parceria com o ICNB – Instituto da Conservação da Natureza e da Biodiversidade, o Munícipio de Torres Novas e a Naturlink, estão a organizar a conferência "Gestão e Conservação de Ecossistemas Aquáticos", no qual serão apresentados diversos estudos, experiências e projetos relativos ao ordenamento, ecologia e monitorização destes sistemas, discutindo as principais ameaças a que têm sido sujeitos, a sua reabilitação e gestão operacional. A conferência decorrerá no dia 25 de Novembro de 2011, no cineteatro Virgínia em Torres Novas.

Pretende-se que este evento seja não só muito útil e interessante para técnicos e investigadores que trabalham ou venham a trabalhar com sistemas aquáticos, bem como para autarcas, planeadores e gestores do território, empresários,  professores e estudantes, chamando a atenção da opinião pública para a importância essencial destes ecossistemas, para os serviços que proporcionam e para as iniciativas que estão a ser desenvolvidas nesta área.

O Programa da Conferência é o seguinte:

08h30 - Recepção dos Participantes

10h00 - Sessão de Abertura

10h15 - "Gestão e conservação de Ecossistemas Aquáticos: os casos do Almonda e das Turfeiras de Altitude"
Paulo Pereira e Miguel Peixoto (Ideias Sustentáveis), Ernestino Maravalhas (Tagis), Paulo Monteiro (Quercus)

10h40 – "O contributo das Águas do Ribatejo para a despoluição do Almonda"
José António Moura de Campos (Águas do Ribatejo)

11h05 – "O Plano de Ordenamento da Reserva Natural do Paul do Boquilobo e a sua importância para a gestão da Área Protegida"
Fernando Faria Pereira (ICNB)

11h30 - Pausa para café

11h50 - "Estratégia de gestão e conservação da maior lagoa natural da Península Ibérica: desafios e oportunidades"
Célia Laranjeira, (Câmara Municipal de Águeda)

12h15 - "Restauração e reabilitação de linhas de água – o espaço da Engenharia Natural"
João Paulo Almeida Fernandes (Universidade de Évora)

12h40 - "Ecologial restoration of migratory fish in South West England: Fish pass and river engineering"
Adrian Dowding, (Westcountry Rivers Trust)

13h20 - Almoço livre

15h00 – "Peixes migradores em Portugal: crónica de um fim anunciado"
Pedro Raposo de Almeida (Departamento de Biologia da Universidade de Évora e Centro de Oceanografia)

15h25 - "Reprodução em cativeiro como ferramenta para a preservação de espécies criticamente ameaçadas de peixes de água doce"
Carla Sousa Santos (Centro de Biociências do ISPA)

15h50 - "Boas e más notícias: gestão das lagoas temporárias de Longueira-Almograve para a conservação do Cágado-de-carapaça-estriada versus o colapso da comunidade de anfíbios do Paul do Boquilobo"
Pedro Segurado (Centro de Estudos Florestais do ISA), Dário Cardador, Alexandrina Pipa e Paulo Lucas (Quercus)

16h15 - Pausa para café

16h35 - "Reintrodução da Águia-pesqueira Pandion haliaetus em Portugal"
Luís Palma, Andreia Dias, João Ferreira, Marco Mirinha e Pedro Beja (CIBIO)

17h00 – "Utilização sustentável das zonas húmidas através do Ecoturismo
Maria João Pereira, Joaquim Reis e Sofia Lourenço (Natuga) 

17h25 - Conclusões e encerramento dos trabalhos

 

Para além das comunicações a apresentar pelos oradores convidados, os participantes que o desejarem poderão apresentar um resumo dos seus trabalhos realizados sobre este tema através de posters (dimensões máximas 70x90 cm). O conteúdo dos posters não será sujeito a peritagem por parte da organização, sendo da inteira responsabilidade dos autores.

O custo das inscrições é de 25 euros para estudantes de grau académico igual ou inferior a mestrado (que deverão enviar cópia de comprovativo actualizado quando do envio da ficha de inscrição e respectivo pagamento) e de 40 euros para os restantes participantes (os valores indicados já incluem o IVA). O pagamento deverá ser efectuado através de envio de cheque ou vale postal emitido à ordem da Naturlink, ou através de transferência bancária para a conta de NIB 004551204022238160594 (com envio do comprovativo de transferência por e-mail, fax ou correio).

As inscrições deverão ser efectuadas até ao dia 23 de Novembro de 2011, preenchendo e enviando a Ficha de Inscrição que poderá descarregar aqui.

O secretariado da Conferência é garantido pela Naturlink e os respectivos contactos são os seguintes:

Naturlink
Rua Robalo Gouveia, 1-1º A
1900-392 Lisboa
Telefone: 217991100
Fax: 217991119
E-mail: naturlink@naturlink.pt 

 

Organização

    

     

Apoios

 Investindo no nosso futuro comum

  

 

 

Leituras Adicionais 

Reserva Natural do Paul do Boquilobo, uma zona húmida a cuidar no coração de Portugal

Galerias ribeirinhas mediterrânicas – “oásis lineares” 

A vegetação ripícola como filtro biológico de nutrientes 

Reproduzir para preservar: conservação de espécies piscícolas ameaçadas

Impactes ecológicos das obras hidráulicas transversais e as passagens para peixes como medida mitigadora

Monitorização da funcionalidade de passagens para peixes: aplicação de novas tecnologias em Portugal

Lagoa de Óbidos – um paraíso em vias de desaparecimento

Água, um recurso limitado

Causas do declínio global dos Anfíbios

Foram libertadas as primeiras águias-pesqueiras na Barragem do Alqueva

As plantas e a Engenharia Natural ao serviço da restauração ecológica e da conservação da Natureza

 

 

Comentários

Newsletter