O projecto ECOQUARRY – Ecotecnologia para a Restauração Ambiental de Pedreiras Calcárias

Graça Oliveira – Centro de Biologia Ambiental da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa
Imprimir
Texto A A A

Apresentação do projecto internacional de restauração de pedreiras calcárias em condições mediterrânicas ECOQUARRY – Ecotechnology for Environmental Restoration of Limestone Quarries, no qual participou a Faculdade de Ciências de Lisboa e a Secil.

Após a extracção dos recursos minerais, as áreas afectadas devem ser recuperadas e re-integradas no meio ambiente tendo em conta factores paisagísticos e ecológicos. O resultado final dos projectos de recuperação depende da qualidade das intervenções durante todas as fases do processo, apoiadas em sólidas bases científicas e técnicas.

O projecto ECOQUARRY - Ecotechnology for environmental restoration of limestone quarries foi co-financiado pelo programa Europeu Life-Ambiente, projecto (LIFE04 ENV/ES/000195), coordenado pela Universitat de Barcelona e desenvolvido entre 2004 e 2007 por parceiros em Portugal, Catalunha e Comunidade Valenciana - 6 instituições universitárias e politécnicas (orientação científica), 10 empresas da indústria extractiva (instalação e manutenção de áreas-piloto), 2 associações empresariais e uma entidade governamental com responsabilidades na área do ambiente (apoio e divulgação). Portugal esteve representado pela Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (Centro de Ecologia e Biologia Vegetal1) e pela SECIL – Companhia Geral de Cal e Cimento, S.A.


Figura 1 – Localização aproximada das pedreiras onde foram instaladas as parcelas-piloto do projecto Ecoquarry. Assinalam-se com cores distintas as pedreiras com diferentes níveis de precipitação annual (vermelho: 350 mm/ano; lilás: 525 mm/ano; azul: 625-725 mm/ano).

Enquadramento

Este projecto consistiu essencialmente em implementar, à escala real, as técnicas mais recentes e inovadoras para restauro de pedreiras em condições mediterrânicas. Embora a recuperação ambiental de áreas degradadas por actividades extractivas não seja prática recente noutros países da Europa e da América do Norte, é escassa a experiência em países mediterrânicos, onde a especificidade dos constrangimentos ambientais e da vegetação justificam que as técnicas aplicadas naqueles casos não sejam exequíveis ou, pelo menos, não alcancem igual êxito.

Correntemente, as recuperações de áreas degradadas incluem poucas ou nenhumas espécies arbustivas e arbóreas, investindo sobretudo em vegetação herbácea, introduzida por sementeira. As espécies lenhosas são usadas apenas quando se considera que a sua capacidade de sobrevivência e/ou de crescimento rápido nestas condições adversas o justificam, promovendo frequentemente "monoculturas" e introdução de espécies alóctones. Por outro lado, verifica-se que a sementeira de misturas comercialmente propostas favorece o desenvolvimento de herbáceas que, além de poderem manifestar carácter invasivo, prejudicam a evolução da comunidade vegetal. Isto contraria o facto de, no caso de muitas pedreiras em zonas mediterrânicas, serem as espécies arbustivas e arbóreas que, em termos paisagísticos e ecológicos, caracterizam as áreas naturais envolventes que servem de modelo.


Figura 2 – Aspecto das parcelas-piloto: a) na pedreira de Sierra Mediana (Alicante, Comunidade Valenciana); b) na pedreira Las Cuevas (Sitges, Catalunha); C indica as parcelas com melhoramento do substrato.

Assim, um dos objectivos do ECOQUARRY foi promover a introdução de vegetação lenhosa diversificada nos processos de recuperação de pedreiras. O tipo de substrato utilizado na restauração foi também tido em conta para a definição da necessidade e dosagem de correcção e de regas, sempre em articulação com o tipo e densidade da vegetação introduzida.

 

O projecto alicerçou-se nos conhecimentos acumulados ao longo dos últimos 20 anos pelos diversos parceiros do consórcio, desde os resultados de investigação científica e de ensaios experimentais, aos conhecimentos adquiridos na prática diária dos técnicos das empresas extractivas e das instituições com responsabilidade na área ambiental.

Um objectivo inovador do projecto ECOQUARRY foi o estabelecimento de um sistema de controlo de qualidade para optimizar as actuações em futuras recuperações de pedreiras. Não esquecendo a relação custo-benefício, pretendeu-se fomentar o uso racional dos recursos naturais e a utilização de espécies vegetais nativas (em vez das comercialmente mais divulgadas) para obter um sistema natural mais diverso e próximo do ecossistema envolvente.


Figura 3 – Apectos da preparação dos taludes nas áreas-piloto (SECIL-Outão, Portugal). a) Preparação do substrato e sua colocação no talude; b) Hidrossementeira; c) Plantações.

Objectivos

. Melhoramento das intervenções de recuperação em pedreiras calcárias mediterrânicas, com desenvolvimento de processos de controlo de qualidade normalizados.

. Promoção do uso racional e sustentável dos recursos naturais e do aumento da fixação do dióxido de carbono atmosférico.

. Transferência de processos directamente para grandes e pequenas empresas mineiras.

Resumo dos factores testados nas parcelas-piloto ECOQUARRY

As pedreiras diferiam essencialmente no tipo de substrato utilizado (e respectiva granulometria) e no volume de precipitação anual (o qual determinou a dose de rega aplicada). A densidade e diversidade das plantações foram semelhantes nas 11 pedreiras, utilizando-se espécies arbustivas e arbóreas autóctones.

 

Faseamento

1) Implementação de testes-piloto: utilização de espécies herbáceas apropriadas a cada zona de vegetação, aumento da diversidade de espécies arbustivas (por sementeira e plantação) e melhoramento da distribuição do coberto vegetal.

2) Controlo de qualidade: optimização dos recursos e da manutenção (e.g. rega) e monitorização do desenvolvimento da vegetação.

3) Avaliação de resultados (eficácia e rendimento).

4) Planificação de um sistema de qualidade ambiental para recuperação de pedreiras (e.g. Manual de Recuperação de Pedreiras).


Figura 4 – Algumas das espécies lenhosas (autóctones) utilizadas nas plantações. A qualidade da planta de viveiro (a) e do trabalho de plantação (b) foram determinantes para o êxito desta etapa do processo. 

Resultados ambientais, sociais e económicos

O projecto produziu directamente técnicas melhoradas - mais eficazes e eficientes - para a recuperação de áreas extremamente degradadas. Entre os resultados ambientais destacam-se a recomendação do aproveitamento de materiais locais e reciclagem de resíduos orgânicos, para a formação de substrato, bem como da utilização de espécies autóctones (lenhosas e herbáceas), para incremento da biodiversidade e favorecimento da sucessão natural. O projecto aumentou a sensibilidade do sector extractivo para a importância do controlo de qualidade de todas as operações envolvidas no processo de recuperação das pedreiras. O melhoramento destas tecnologias beneficia a percepção social das actividades extractivas e proporciona oportunidades económicas para empresas com actividades ligadas à restauração tais como viveiristas, empresas de engenharia florestal ou arquitectura paisagística.


Benefícios a longo-prazo e sustentabilidade

O principal resultado do projecto foi a elaboração de um conjunto de protocolos (em geral, experimentalmente demonstrados) para a restauração de pedreiras calcárias em regiões mediterrânicas. Estes protocolos baseiam-se na realização de um mínimo de intervenções que possam desencadear e/ou facilitar a sucessão natural, e na aplicação, se necessária, de medidas de gestão durante o período de caução, de modo a assegurar a recuperação natural, a médio- e longo-prazo, dos ecossistemas e da paisagem. Esta abordagem pretende evitar quer o insucesso das intervenções, quer os investimentos prolongados ou permanentes em manutenção (rega, fertilização, novas plantações, eliminação de espécies indesejáveis, etc.).


Figura 5 – Aspecto de algumas parcelas-piloto c. 2 anos após a instalação: a) pedreira El Telégrafo (Ordal, Catalunha), b) pedreira Las Cuevas, c) pedreira La Falconera (Sitges, Catalunha). Notem-se os diferentes tipos de substrato. Com excepção do pinheiro, as plantas que se observam em b) são de espécies herbáceas, introduzidas por hidrossementeira, que demonstraram boa capacidade de desenvolvimento nestas condições. 

Relevância dos resultados

As empresas extractivas que participaram no ECOQUARRY são, naturalmente, os primeiros beneficiários dos resultados obtidos, mas está contemplada a transferência dos conhecimentos que será feita através das associações do sector e da administração pública (também participantes no Projecto), bem como pela divulgação de um Manual de Boas Práticas.

Tendo o projecto sido desenvolvido num número de pedreiras calcárias geografica e climaticamente representativo, os seus resultados gerais podem considerar-se aplicáveis a outras pedreiras em condições mediterrânicas. Por outro lado, as estratégias de controlo de qualidade definidas são aplicáveis em qualquer actividade de recuperação de pedreiras, independentemente da sua geografia, recurso mineral ou clima.

O projecto produziu directrizes para a recuperação sustentável de pedreiras e para o controlo de qualidade do processo de restauração que podem constituir as bases técnicas e científicas para o desenvolvimento ou melhoramento da regulamentação a diversos níveis, desde a regional até à europeia.


Figura 6 – Entre as limitações ao sucesso das diversas actuações salientam-se: (a) a vulnerabilidade dos taludes à erosão (declives excessivos e/ou deficiente estabilização) e (b) a promoção do desenvolvimento herbáceo (parcelas com espécies “comerciais” e/ou com substrato melhorado) que prejudicou a sobrevivência e o crescimento das espécies plantadas.

Participantes no projecto EcoQuarry:

. Departament de Biologia Vegetal de la Universitat de Barcelona (coordenação)
. Universitat Politècnica de Catalunya
. Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa – CEBV (Centro de Ecologia e Biologia Vegetal)
. Universitat d’Alacant
. Centre de Recerca Ecològica i Aplicacions Forestals (CREAF)
. Escola d’Agricultura de Barcelona
. Direcció General de Boscos i Biodiversitat del departament de Medi Ambient de la Generalitat de Catalunya
. Gremi d’Àrids de Catalunya
. Agrupació de Fabricants de Ciment de Catalunya
. Empresas do sector:
- Aricemex
- Uniland Cementera
- Bercontrés
- Cantera Roca
- Canteras La Ponderosa
- Ciments Molins
- Cemex (Tarragona e Alicante)
- Lafarge Asland
- Promotora Mediterrània-2 (PROMSA)
- Secil (Portugal)

Para mais informação:
www2.ub.edu/ecoquarry

Graça Oliveira, Centro de Biologia Ambiental, Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa. Tel: 21 7500000, ext. 22556; g.oliveira@fc.ul.pt

1 Recentemente integrado no Centro de Biologia Ambiental (Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa)

Documentos Recomendados

Exploração de Basalto na Região das Missões do Estado do Rio Grande do Sul: Uma Abordagem às Questões Ambientais

Restauração do Coberto Lenhoso Ripícola nas Margens da Lagoa dos Linhos, Mata Nacional do Urso

 

Comentários

Newsletter

 

Envie o seu anúncio de emprego através do e-mail naturlink@naturlink.pt