Green Jobs

Carlos Rio Carvalho – ERENA (22-05-2009)
Imprimir
Texto A A A



Nas últimas décadas foi possível criar e manter o Sistema Nacional de Áreas Protegidas e a Rede Natura 2000. É um bom legado que nos deixam as políticas de conservação com ênfase no ordenamento do território e não na sua gestão. Estas políticas responderam a ameaças que eram principalmente de destruição ou sobre - utilização de recursos naturais. Embora essas ameaças ainda existam, predominam agora outras, associadas ao não uso e ao abandono e é por isso necessário promover a conservação através da gestão. Por isso também é necessário mudar as políticas, ou em certos casos, apenas adaptar políticas Europeias que são virtuosas e que não expressam completamente essa virtude em Portugal.



Essa mudança ou adaptação é particularmente necessária na política de desenvolvimento rural e conservação da biodiversidade, na legislação de impacto e responsabilidade ambiental e na política florestal.

Em ano de eleições seria um excelente sinal se esta questão fosse incluída e serenamente discutida para além das frases de efeito e declarações genéricas de princípios genéricos. Serão os deputados ao Parlamento Europeu que discutirão as perspectivas financeiras 2014-2020, o futuro da política de desenvolvimento rural na Europa, o financiamento da Rede Natura 2000 ou os mecanismos de estímulo a integração da conservação da natureza na actividade empresarial. Os autarcas que agem localmente e têm uma particular responsabilidade no ordenamento do território e no desenvolvimento serão sempre uma parte importante de qualquer programa de requalificação do território, inclusivamente na sua condição de proprietários e gestores.

Nas eleições legislativas será importante conhecer com clareza as opções e propostas dos concorrentes. A integração do desenvolvimento rural com a conservação da biodiversidade, é uma perda de dinheiro ineficiente ou pode ser um factor de desenvolvimento e criação de emprego? Se sim, como? Tutela conjunta da conservação da biodiversidade, floresta e desenvolvimento rural, sim ou não? Qual o modo de estimular o investimento privado na gestão da biodiversidade? Qual é a hierarquia dos temas de conservação da biodiversidade, qual a prioridade na aplicação dos recursos?



Os Green jobs são parte do programa de relançamento da economia dos Estados Unidos. A expressão refere-se à criação de emprego na área da energia, dos resíduos e da água, e nas áreas tecnológicas com impacto no ambiente.

O valor relativo das actividades associadas à gestão da biodiversidade é potencialmente muito maior em Portugal do que nos Estados Unidos. Em Portugal o turismo é muito importante e a sua oferta tem de ser diversificada e é muito elevada a importância relativa do território a valorizar pela gestão da biodiversidade. Por isso o nosso perfil de “empregos verdes” pode e deve incorporar uma componente verdadeiramente verde, o verde dos nossos campos e matas, que muito desleixadamente temos vindo a esquecer.

www.erena.pt


Documentos Recomendados

Economia da conservação da natureza: sobre a necessidade de uma abordagem económica à constituição e gestão das áreas protegidas Portuguesas

Sustainable Investments for Conservation - The Business Case for Biodiversity

Comentários

Newsletter