Perda da biodiversidade agravou-se nos últimos anos e prevê-se que a tendência se mantenha

Filipa Alves (12-10-09)
Imprimir
Texto A A A

O objectivo de atenuar a perda de Biodiversidade até 2010 não será concretizado. A principal ameaça à diversidade biológica é a desflorestação mas as Alterações Climáticas ganham cada vez mais relevo e torna-se necessária a adopção de novas estratégias como a criação de um órgão equivalente ao Painel Intergovernamental para as Alterações Climáticas.

Segundo o Diversitas - programa internacional dedicado à investigação científica sobre Biodiversidade criado pela UNESCO e pelo Conselho Internacional para a Ciência em 1991 - ao invés do que se pretendia a velocidade de declínio da biodiversidade aumentou no passado recente. Deste modo, o objectivo internacional de redução da perda biodiversidade em 2010, estabelecido em 2003 e a que aderiram 123 países, não será concretizado.

Segundo Georgina Mace, vice-presidente do Diversitas, “De certeza que não vamos cumprir o objectivo de reduzir a perda de Biodiversidade em 2010 e, portanto, também vamos incumprir as metas ambientais dos Objectivos de Desenvolvimento do Milénio para 2015. De acordo com a dirigente, o ritmo de extinção de espécies é pelo menos 100 vezes mais elevado do que o observado antes do aparecimento dos seres humanos e espera-se que continue a aumentar. Actualmente, a principal ameaça à Biodiversidade é a destruição de habitat, nomeadamente através da desflorestação quer para cultivo do solo, quer como consequência da exploração madeireira.

No entanto, calcula-se que em 2050 a principal causa de declínio da Biodiversidade sejam as Alterações Climáticas. Segundo afirmou Hal Mooney, presidente da Diversitas “O que acontece agora, e que assusta a maioria dos cientistas, é que começamos a ver grandes impactos das Alterações Climáticas. Vemos novos elemento como consequência das Alterações Climáticas, como o aumento dos fogos e das novas espécies invasoras que se propagam por todo o mundo”.

E o Mace acrescenta “É necessário um aumento do nível de consciencialização sobre a ameaça ao planeta que é a perda de tantas espécies”. Para fazer face ao problema, foi proposta durante uma reunião ministerial que teve lugar em Nairobi na semana passada a criação de um mecanismo equivalente ao Painel Internacional contra as Alterações Climáticas. O anúncio da criação deste órgão será anunciado durante a conferência que terá lugar na Cidade do Cabo, África do Sul, entre 13 e 16 de Outubro deste mês, organizada pelas Diversitas e em que participarão 600 peritos de todo o mundo.

Fonte: elmundo.es

Documentos Recomendados

A database of schemes that prioritize sites and species based on their conservation value: focusing business on biodiversity

Biodiversity, the Next Challenge for Financial Institutions

Comentários

Newsletter