A locomoção dos animais

Alexandre Vaz
Imprimir
Texto A A A


Para além da marcha ou da corrida, existem muitas outras maneiras de progredir nos meios sólidos. Alguns répteis e invertebrados, como as cobras e as minhocas, estão perfeitamente adaptados a rastejar. As primeiras ondulam o corpo num movimento tipo concertina e podem progredir a mais de 10 Km/h. As minhocas têm uma estrutura muscular complexa, que lhes permita fazer variar o diâmetro e comprimento do corpo e que, associada a pilosidades aderentes, faz com que elas se desloquem eficazmente em galerias no subsolo, exactamente da sua medida.

 Os cangurus, as pulgas e alguma aranhas e batráquios parecem ter pouco em comum, mas no entanto partilham uma mesma característica: deslocam-se através de saltos. Se os cangurus quando se deslocam devagar parecem desajeitados, vendo-se obrigados a utilizar a cauda como apoio, a maiores velocidades, como a 20 Km/h, tornam-se gráceis e consomem menos energia que um quadrúpede de dimensão semelhante à mesma velocidade. As pulgas, por seu turno, conseguem saltar até 150 vezes o seu próprio tamanho e atingem uma velocidade de 1 metro por segundo, em menos de dois milionésimos de segundo, perfazendo uma aceleração 20 vezes superior à de um foguetão.

Comentários

Newsletter