A locomoção dos animais

Alexandre Vaz
Imprimir
Texto A A A


Entre os animais, existem grupos adaptados à deslocação-se em meios sólidos, líquidos e gasosos. De uma forma geral, as diferentes espécies privilegiam a locomoção num determinado meio, mas isso não significa que em muitos casos os animais não possam fazê-lo em dois ou mesmo nos três meios. Não existe, na maior parte dos casos, nenhuma relação directa entre o taxon a que o animal pertence e o meio em que se locomove. Existem, por exemplo, aves que se deslocam pelo solo, como as avestruzes, outras pelo mar, como os pinguins ou pelos céus, como as andorinhas.

 Para cada meio, existem múltiplas estratégias de locomoção possíveis. No meio gasoso, que é o mesmo que dizer no ar, a locomoção consiste no voo. Existem mamíferos, como os morcegos, insectos e aves, que dominam perfeitamente esta técnica, e até peixes e répteis que realizam voos planados ou de curta duração. Dentro das aves e dos insectos existem múltiplas estratégias para cumprir essa tarefa. Cada espécie está adaptada para responder melhor aos desafios que se lhe colocam. O abutre necessita de tirar partido da sua anatomia e das condições climatéricas para poder fazer voos planados, de reduzido consumo energético, durante horas. Mas o falcão peregrino já necessita de atingir elevadas velocidades para capturar as suas presas e o colibri depende dos seus sofisticados músculos, para pairar com o corpo imóvel, e alimentar-se do néctar de uma flor.

Comentários

Newsletter