Aldo Leopold

Adaptação de António Barreto
Imprimir
Texto A A A

Aldo Leopold (1887-1948), notável naturalista norte-americano, conjugou primorosamente na sua obra a precisão do cientista com a sensibilidade do poeta.

 

Aldo Leopold nasceu em Burlington, no Iowa, Estados Unidos da América, em 1887. Era o mais velho dos quatro filhos de Carl e Clara Leopold. Estudou nas escolas públicas de Burlington até 1903, tendo frequentado de Janeiro de 1904 até Maio de 1905 a Lawernceville School em Nova Jersey, para se preparar para a faculdade. Ainda em 1905 entra para a Escola Científica Sheffield em Yale, em 1906 começa o curso na Escola Florestal de Yale que termina com o grau "Master of Forestry", em 1909.

Aldo Leopold é considerado o pai do estudo da ecologia da vida selvagem e um verdadeiro herói de Wisconsin. Leopold foi um académico e cientista de renome, um professor excepcional, um talentoso escritor e filósofo. É sobretudo através da sua obra "A Sand County Almanac" que Leopold é conhecido por milhões de pessoas em todo o mundo.

As raízes do conceito de Leopold da "ética da terra", sempre presentes na sua obra, podem ser seguidas até ao local onde nasceu, nas margens do rio Mississippi, perto de Burlington, Iowa. Enquanto jovem, Aldo desenvolveu um enorme gosto e interesse pelo mundo natural, passando horas perdidas em aventuras nas matas, pastagens e rios de um Iowa então relativamente selvagem. Esta precoce ligação ao mundo natural, aliada a um sentido e a uma habilidade pouco comuns para a observação e a para a escrita, levou-o a obter o seu grau de mestre por Yale.

Depois de se formar, Leopold esteve 19 anos nos Serviços Florestais dos Estados Unidos. Começou por trabalhar no Arizona, como assistente na Apache National Forest, tendo sido transferido em 1911 para Carson National Forest no norte do Novo México, como supervisor assistente e depois supervisor, onde esteve até 1914. É neste período que funda e edita uma "newsletter", a "Carson pine Cone". Casa-se, em 9 de Outubro de 1912, com Estella Bergere, natural de Santa Fé, com quem tem quatro filhos: Starker, 1913; Luna, 1915; Nina; 1917; Carl, 1919 e Estella, 1927.

Em 1918, depois dos Estados Unidos entrarem na I Guerra Mundial, Aldo Leopold altera as suas pioridades e deixa os serviços florestais, aceitando, em Janeiro desse ano, o cargo de secretário da Câmara de Comércio de Albuquerque. Retoma a sua actividade nos Serviços Florestais em 1919, como Assistente Florestal Distrital, responsável pela organização negocial, finanças do pessoal, caminhos e trilhos e controlo de fogos, para os 10 milhões de hectares de floresta do Sudoeste.

Comentários

Newsletter