Recuperação Ecológica de Pedreiras – um caso de estudo na Serra da Arrábida

Graça Oliveira – Centro de Biologia Ambiental da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa
Imprimir
Texto A A A


Foto 5 - Desenvolvimento da vegetação num patamar da pedreira de calcário, revegetado há cerca de 20 anos. Note-se a predominância de Pinus halepensis (pinheiro-de-Alepo), incluído no elenco de espécies usadas na revegetação.

Os resultados até agora obtidos indicam que os trabalhos de recuperação efectuados naquela pedreira desde 1983 têm favorecido o estabelecimento mais rápido de uma comunidade vegetal, essencialmente autóctone, saudável, equilibrada e potencialmente sustentável. Esta vegetação é estrutural e funcionalmente diversificada, com capacidade de auto-propagação e resiliente às perturbações naturais (e.g. fogo). Assim, pode considerar-se que o enquadramento ecológico da pedreira revegetada é melhor do que pode sugerir a mera percepção paisagística. Contudo, há ainda discrepâncias relativamente ao ecossistema “natural” envolvente (por exemplo a excessiva densidade de pinheiro-de-Alepo), que poderão comprometer a pretendida evolução da vegetação. Para evitar que tal aconteça têm sido estudadas estratégias alternativas para a introdução de plantas e/ou para maneio posterior da vegetação estabelecida (e.g. desbaste selectivo de pinheiros), além de se realçar a importância da monitorização periódica, no sentido de detectar atempadamente os desvios na trajectória pretendida e implementar acções que re-orientem o desenvolvimento da comunidade vegetal.

Graça Oliveira
g.oliveira@fc.ul.pt

1Society for Ecological Restoration International Science & Policy Working Group. 2004. The SER International Primer on Ecological Restoration. www.ser.org & Tucson: Society for Ecological Restoration International.
2Recentemente integrado no Centro de Biologia Ambiental (Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa)

 

Documentos Recomendados

Exploração de Basalto na Região das Missões do Estado do Rio Grande do Sul: Uma Abordagem às Questões Ambientais

Avaliação Estratégica do Impacte Ambiental de Políticas de Ordenamento

Comentários

Newsletter